ccomo cobrar projeto de arquitetura ccomo cobrar projeto de arquitetura

 Afinal, como cobrar por projetos de arquitetura?

6 minutos para ler

É natural que os profissionais tenham dúvidas na hora de precificar seus serviços, principalmente no início de suas carreiras como arquitetos. Esse trabalho não é tão simples, pois envolve diversos fatores. Além disso, os valores não podem ser muito altos, de forma que inviabilize as construções, nem muito baixos, a ponto de causar prejuízos aos especialistas.

Neste post vamos falar sobre como cobrar por projetos de arquitetura definindo o preço, de modo que ele seja justo e vantajoso para todas as partes envolvidas. Aqui você vai descobrir a importância de precificar corretamente os trabalhos para obter lucros e evitar perdas desnecessárias. Um cálculo equivocado pode afetar a lucratividade ou afastar o cliente.

Continue a leitura deste texto para conferir dicas relevantes sobre como fazer a cobrança dos seus projetos diante das atuais tendências na arquitetura.

Qual é a importância de precificar corretamente um serviço?

Saber precificar um projeto da forma correta é importante para não perder dinheiro nem afastar clientes. Isso pode ser desafiador para quem precisa trabalhar e obter rentabilidade, sem esquecer de incluir no cálculo os tributos a serem pagos durante a produção dos serviços. Além disso, é preciso considerar os gastos com instalações, profissionais especializados e escritório.

Como cobrar por projetos de arquitetura para obter lucros e evitar prejuízos?

A precificação faz parte da rotina dos arquitetos que precisam combinar informações do mercado, do tipo de serviço, da gestão e execução do projeto, da estrutura e das despesas com o trabalho a ser realizado. Por isso, não tem como seguir um manual para a definição de cobranças. Veja a seguir como cobrar por projetos de arquitetura!

Estudar o mercado

O primeiro passo é fazer uma análise do mercado no qual o arquiteto está inserido. Observe os preços praticados pelos seus colegas de profissão para não cobrar muito mais do que a concorrência e faça uma média, consultando empresas prestadoras de serviços.

Não se esqueça de dar uma olhada nas redes sociais para averiguar o comportamento dos seus concorrentes e criar as suas próprias estratégias para agregar valor aos serviços. É necessário fazer uma avaliação e tomar a decisão de cobrar um valor razoável.

Relacionar todos os custos

Os valores que são essenciais para a execução do projeto, como os gastos com consultorias e planos, devem ser incluídos na proposta inicial enviada ao cliente. Caso contrário, sua empresa vai ter que arcar com esses gastos, o que vai diminuir a rentabilidade. Faça uma relação de todos os custos diretos e indiretos para inseri-los no preço final.

Os custos diretos são aqueles referentes à produção e à execução do projeto, tais como viagens, tributos, deslocamentos, mão de obra de designers, desenhistas e arquitetos. Os indiretos são aqueles que estão relacionados à instalação e ao funcionamento do negócio, exceto se você trabalha de home office — aluguel, condomínio, contas de água e energia elétrica, pagamento da secretária e do contador etc.

Levar em contas as despesas fixas do escritório

As despesas fixas do negócio são consideradas na precificação, caso contrário, o profissional pode ficar no prejuízo. Considere as despesas com equipes de trabalho, contando com estagiários, funcionários fixos ou empresa terceirizada. O arquiteto também precisa levar em conta o preço dos materiais para o escritório e gastos com mesas, cadeiras e poltronas.

Calcular quantas horas serão gastas no projeto

Uma maneira de fazer a cobrança de forma adequada é calculando o preço da sua hora trabalhada. Verifique quantas horas vão ser gastas no projeto e multiplique pelo valor da hora de trabalho.

Para fazer a precificação nessas condições, observe os serviços prestados anteriormente e utilize-os como base. Anote quanto tempo você leva para fazer cada etapa do projeto para fazer o cálculo corretamente.

Analisar o tamanho do projeto

Uma opção é fazer a cobrança dos serviços por metro quadrado. A maioria dos arquitetos adota esse método no início da carreira ou quando o projeto é simples, como o planejamento de casas, apartamentos ou pequenos prédios.

O preço por metro quadrado varia bastante de uma região para a outra, então é importante fazer uma pesquisa antes de transmitir ao cliente o valor final do projeto.

Considerar um percentual

Essa é uma metodologia internacional, por meio da qual o profissional de arquitetura estabelece uma porcentagem sobre o custo do projeto a ser executado.

Pode ser levada em consideração uma variável: o grau de complexidade da obra. O percentual geralmente varia entre 2,5 % e 4% nos projetos de grande porte, e de 7% a 12% em pequenos e médios projetos.

Observar a capacidade profissional

Muitos arquitetos definem os preços dos seus serviços com base na sua qualificação. Eles preferem fazer uma ponderação de suas capacidades e experiência no segmento de atuação, considerando a própria eficiência profissional.

Os profissionais que optam por precificar de acordo com sua capacitação normalmente são os mais experientes e que já estão estabilizados no mercado. Os ambientes de trabalho mudaram, mas esses arquitetos continuam ativos apesar das crises e dificuldades.

Avaliar a demanda

Esse método é muito utilizado por aqueles que estão com as suas agendas sobrecarregadas com diversos projetos. Assim, se um novo projeto entrar, o custo dele será maior devido ao fluxo de trabalho existente em cada época.

Nesse caso, deve-se levar em consideração também o grau de dificuldade do projeto e a quantidade de trabalho pendente.

Utilizar a tabela do Conselho de Arquitetura e Urbanismo

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil regula a profissão do ramo da arquitetura no país. Desse modo, o Conselho fornece uma tabela com o preço de honorários que podem ser cobrados pelos profissionais da área, incluindo os mais variados serviços e projetos arquitetônicos.

O cálculo é feito por meio de uma ferramenta ou aplicativo que aplica parâmetros específicos.

Ponderar por custo de unidade

Às vezes surgem oportunidades diferenciadas, como a contratação feita por uma pessoa privilegiada e influente na sociedade. Nessas circunstâncias, o arquiteto deve pensar e repensar antes de informar o preço, para ter certeza de que o serviço poderá abrir outras portas. Tenha cuidado para não cair nas mãos de oportunistas que prometem marketing e visibilidade em projetos gratuitos.

Agora você já sabe como cobrar por projetos de arquitetura! Construa o seu próprio método de cobrança, analisando todos os aspectos mencionados no decorrer deste conteúdo. Não baixe o preço dos seus serviços apenas para conquistar clientes sem antes calcular os custos e confirmar se vai ter algum retorno dos seus investimentos.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Restou alguma dúvida? Deixe um comentário e participe da conversa!

Posts relacionados

Deixe um comentário