Tecido para móveis: 4 cuidados importantes na hora da escolha!

Antigamente, era mais comum que as pessoas entendessem sobre tecidos, porém, com a mobília comprada pronta, essa característica se tornou menos recorrente. Por isso, muitos não sabem ao certo como escolher o tecido para móveis.

Esse tipo de produto pede uma atenção especial na escolha do revestimento das partes estofadas, pois o acabamento deve ser não só impecável, como resistente e durável. Além disso, a escolha do tecido precisa preservar o conforto e a ergonomia do móvel.

Quando pensamos em poltronas, sofás e cadeiras, esse aspecto é fundamental. Além de favorecer a estética e a decoração, os tecidos certos agregam ao mobiliário um valor incomparável, de durabilidade e custo-benefício. Veja como escolher!

1. Busque por referências

Em projetos para ambientes internos, as referências são valiosas. Agora, quando o assunto é tecido para móveis, essa prática faz uma diferença ainda maior. Isso porque é preciso buscar inspirações que sejam não só bonitas, mas funcionais e seguras.

Os estofados de cadeiras e poltronas necessitam de revestimentos que aguentem o dia a dia de uso. Portanto, ao ir atrás dos tecidos ideais, vale a pena pesquisar as opções e até levar uma foto do ambiente para facilitar a visualização na hora de criar combinações.

2. Conheça as diferentes texturas

Durante a pesquisa, você vai encontrar várias classificações de tecidos, que se baseiam principalmente na textura e no tipo de fabricação. A tarefa é complexa, mas se deve conhecer pelo menos o básico. Assim, você terá um norte ao analisar os estofados com estratégia.

Em móveis, os tecidos costumam ser mais firmes e resistentes, ainda que confortáveis. Chenille, suede, lona e jacquard são alternativas tradicionais, por exemplo, ainda que o couro natural e os materiais sintéticos sejam mais práticos e de fácil manutenção.

3. Confira a qualidade da estampa e do tingimento

Após verificar a resistência das tramas e o melhor custo-benefício, é a vez de conseguir as melhores combinações para o ambiente. Nesse sentido, é indispensável encontrar as cores ideais e, se for o caso, estampas e padronagens atraentes ao projeto.

Acontece que alguns tecidos falham no tingimento, que perdem a nitidez e a vivacidade da tonalidade com o tempo. O tecido para móveis também não pode desbotar, muito menos manchar a roupa das pessoas — ou o contrário. Esses fatores mostram claramente que o material não é de qualidade!

4. Avalie a possibilidade de limpeza e higienização

Durante muito tempo, a solução para proteger o tecido dos móveis eram as capas, principalmente em relação aos sofás e poltronas. Hoje, no entanto, é possível conseguir o melhor revestimento sem escondê-lo ou desvalorizá-lo, até mesmo em cadeiras.

Couro natural ou sintéticos de qualidade podem ser higienizados sem muito perigo, enquanto linho e sarja dificultam a limpeza, que deve ser especializada. Então, o ideal é encontrar um tecido que possa ser limpado sem necessidade de reformas e sem acarretar prejuízos.

A escolha certa do tecido para móveis aumenta a vida útil das peças, sobretudo quando se trata de cadeiras de uso diário — em residências ou escritórios. Para conferir durabilidade sem perder no conforto, siga nossas dicas e prefira os tecidos mais resistentes e de fácil higienização.

Então, que tal compartilhar nas suas redes sociais essas informações? Assim, mais pessoas saberão como escolher seus tecidos para móveis!

Quer receber mais conteúdos como esse ?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.