8 dicas de decoração de ambientes para aplicar em seus projetos

Nada como chegar em casa ou no escritório e se deparar com ambientes charmosos, confortáveis, elegantes e aconchegantes. Então aqui vai uma boa notícia: engana-se quem pensa que para conseguir uma boa decoração de ambientes é preciso gastar muito.

Todo bom profissional de arquitetura sabe como ajustar uma decoração segundo a necessidade do cliente, enquanto segue tendências atuais e as adapta ao estilo e preferências de cada um. Você pode lançar mão do conhecimento que adquiriu e transformar os espaços nos lugares acolhedores com que as pessoas sempre sonharam.

Para dar uma mãozinha, preparamos 8 dicas simples de decoração que podem fazer toda a diferença nos projetos de interiores. Continue a leitura para saber mais!

1. Defina a paleta de cores

É essencial entender que uma decoração impactante ou transformadora não exige grandes reformas. O que realmente faz diferença é apostar em detalhes e não ter receio de inovar totalmente em alguns elementos, como as cores, que, se bem trabalhadas, provocam uma verdadeira revolução no décor.

Por isso, primeiramente, defina a paleta de cores para compor os ambientes: isso vai facilitar a escolha dos objetos decorativos e móveis. Lembre-se de que as cores funcionam como um realce para a iluminação e influenciam nosso estado mental e emocional.

Nesse sentido, é importante optar pelas tonalidades de acordo com a função de cada cômodo, usando as mais frias para promover relaxamento e as mais quentes para acolher e aconchegar. A escolha da paleta de cores depende muito das atividades que os moradores da casa costumam exercer em cada ambiente.

Vale considerar, ainda, que atualmente se tem prezado muito pelo minimalismo, que valoriza a leveza e a neutralidade de elementos e cores para paredes e móveis. Nesse caso, é possível investir em estampas, plantas e pontos de cor discretamente, em certos detalhes do ambiente.

2. Padronize o estilo dos móveis

Para a escolha dos móveis, avalie o estilo da casa ou do cômodo a ser (re)decorado. É uma linha moderna, rústica, minimalista ou industrial? Pode ser uma mistura, mas, de qualquer maneira, definir as influências facilita muito na hora de decidir pelos móveis, objetos decorativos, revestimentos e cores que serão aplicadas. Então, uma dica que sempre garante mais harmonia é optar por móveis com o mesmo padrão.

3. Escolha móveis funcionais e de boa qualidade

Os móveis multifuncionais se destacam pela versatilidade, praticidade e charme. Essas características são especialmente interessantes em espaços limitados ou integrados. Por isso, ter atenção à dimensão e proporções deles é crucial para aproveitar ao máximo cada cantinho, além da área de circulação. Tudo isso favorece a otimização dos espaços e os torna mais amplos e elegantes.

Uma decoração de ambientes ideal vai muito além da estética. Obviamente, é bacana compor os espaços com móveis assinados e peças de design icônicas. Mas tudo isso pode não ficar harmônico nem confortável se não for funcional. Então, é fundamental aliar o conforto e a estética à funcionalidade.

Além disso, tudo só pode ficar realmente perfeito se os móveis tiverem a qualidade necessária para garantir a estética, a funcionalidade e o conforto esperados. Não adianta compor um ambiente visualmente interessante se os móveis se deteriorarem em pouco tempo, provocando desconforto com estrutura e revestimentos de má qualidade.

Se os principais elementos do ambiente (os móveis) não são capazes de assegurar todo o conforto e a funcionalidade que se quer e, em pouco tempo, é preciso refazer tudo, recaímos na máxima que diz: “o barato sai caro”. Por isso, pesquise com muito cuidado e sem pressa por um fornecedor confiável para concretizar o seu projeto de forma memorável — pelos motivos certos.

4. Cuide das áreas de circulação

Muitas vezes, deixamos as áreas de circulação no último lugar da fila, o que pode prejudicar muito qualquer projeto. Planejar a decoração imaginando como será a área de circulação é fundamental, já que isso é o que torna a otimização e a funcionalidade possíveis.

Os objetos decorativos e os móveis devem ser seus aliados. Na hora de distribuir cada um dos itens pelos cômodos, mantenha as distâncias entre um e outro com o máximo de folga possível. A meta é criar uma área com, no mínimo, 60 centímetros de sobra, para que as pessoas transitem sem esbarrar em nada. Portanto, mais uma vez, a multifuncionalidade pode ser a estratégia mais inteligente a ser usada.

5. Considere a iluminação e a circulação do ar

A iluminação tem a função de complementar ou até transformar ambientes, conferindo profundidade e amplitude ao local. Tanto que, quando se trata de espaços menores, a luz natural é capaz de amplificá-los e otimizá-los.

Aqui, podemos falar sobre luz natural, também, no sentido de mais praticidade e economia de energia, além uma melhora no bem-estar físico e mental do cliente. Contudo, se não for possível aproveitar a melhor luz de todas — ou seja, a natural —, há diversos recursos artificiais que também podem garantir uma boa iluminação.

Seja bem direcionada ou difusa (conforme a necessidade do local), a iluminação pode levar um toque de sofisticação aos ambientes. Mas a iluminação artificial tem uma função mais voltada à complementação da luz natural nas casas. Nesse caso, antes de decidir como e onde aplicar luminárias, lustres e abajures, analise a função de cada cômodo, observando qual é o efeito causado pela luz natural em cada lugar.

A ventilação natural é outro aspecto vital para ambientes saudáveis, uma vez que renova o ar. Portanto, é importante avaliar em que estado se encontram as janelas e realizar manutenções se for necessário. Além disso, a posição de eletrodomésticos, objetos decorativos e móveis no interior da casa pode fazer toda a diferença na circulação de ar.

6. Explore espelhos para aumentar espaços menores

Toda decoração de ambientes pode se beneficiar muito dos espelhos, principalmente quando os espaços são pequenos. Esses itens emprestam uma sensação de amplitude não apenas ao cômodo como um todo, mas também a objetos presentes na decoração.

O tapete, por exemplo, ganha um destaque especial: quando ele é retangular e grande, um espelho direcionado da forma certa deixa o ambiente com aspecto muito mais amplo, especialmente se a estampa for quadriculada.

7. Considere floreiras e plantas

A adoção de plantas no interior das casas se tornou uma tendência que leva mais bem-estar, vida e harmonia para os ambientes. O clima de natureza, com muito verde, proporciona tranquilidade e leveza. Então, leve em conta a inclusão desses itens tão especiais em pontos estratégicos da decoração.

8. Priorize o conforto

Para complementar o arranjo decorativo, é sempre bom pensar insistentemente no conforto dos ambientes. Para tanto, além de móveis confortáveis e adequados, alguns elementos trazem conforto físico, mental e visual para os ambientes, de modo a fechar com chave de ouro o pacote de um décor completo. Alguns itens que podemos mencionar são:

Para aplicar nossas dicas aos seus projetos de decoração de ambientes, um bom ponto de partida é buscar inspiração em referências mais atualizadas e conectadas com o que há de mais moderno. Isso ajuda muito a elaborar ideias criativas e até inventar algo inteiramente novo, a partir daquilo que já existe.

Que tal começar a se inspirar agora mesmo? Confira nossas 4 dicas de decoração lounge!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.