anteprojeto arquitetura

Saiba o que é o anteprojeto de arquitetura e qual a sua importância

Após o desenvolvimento da maquete 3D ou croqui no projeto arquitetônico, é necessário aprofundá-lo para que ele seja realizado com maior precisão. É nesse momento que deve ocorrer o anteprojeto de arquitetura, que detalha as plantas de cada ambientação, o tipo de iluminação, a marcenaria, os revestimentos e as paletas de cores.

Ainda, é a fase de distribuir os fluxos de abertura, localização de maquinários, áreas molhadas etc. Ao finalizar essa etapa, o projeto segue para a aprovação do cliente. Se ele emitir uma resposta positiva, será enviada uma equipe responsável pelos projetos complementares, como o projeto elétrico, estrutural, preventivo contra incêndios, hidrossanitário etc.

Para melhor compreensão do assunto, preparamos este artigo com os pontos mais importantes sobre o anteprojeto de arquitetura. Confira!

O que é o anteprojeto de arquitetura?

Conforme mencionado, o anteprojeto de arquitetura consiste na etapa posterior ao projeto arquitetônico que foi desenvolvido e anterior à construção do que foi proposto, atuando como um intermediário entre essas duas etapas.

Dessa maneira, o cliente e a equipe responsável pelo projeto podem avaliar com mais detalhes o que foi proposto, corrigindo eventuais insatisfações e fazendo adaptações no que for necessário. Para que isso ocorra com a eficácia desejada, é indispensável incluir todos os dados com clareza, levando à maior compreensão e análise do projeto.

Para que serve o anteprojeto de arquitetura?

Um projeto arquitetônico precisa satisfazer os desejos e as necessidades do cliente, além de levar em consideração o contexto natural, social e cultural em que a obra está inserida. Caso contrário, o dinheiro e o tempo investidos pela equipe de arquitetura podem resultar em frustrações para todos os envolvidos.

Afinal de contas, a etapa seguinte da maquete 3D ou croque produzido é o executivo, que envolve as etapas de desenvolvimento hidráulico, hidrossanitário, infraestrutura e demais que uma obra pode exigir. Se as possíveis dúvidas dos clientes e até da própria equipe não forem solucionadas antes disso, será muito mais custoso e trabalhoso fazê-lo após o andamento da obra.

De qualquer forma, é importante deixar em evidência que os projetos executados devem se manter fiéis ao projeto arquitetônico desenvolvido pela equipe, de acordo com os padrões estabelecidos pelas normas da construção civil, o que reforça a ideia de que o anteprojeto atua como um processo de ajustes para que a obra seja compatível.

Quais as plantas que o anteprojeto de arquitetura deve englobar?

Planta baixa

A planta baixa serve para que todos os envolvidos no projeto, como clientes e equipe de arquitetura, iniciem o processo de visualização, o que exige uma especial atenção à aplicação de informações coletadas nas etapas anteriores no projeto preliminar e nos programas de necessidade.

Isso porque, a partir da planta baixa, é possível analisar características da obra, como medidas dos ambientes, números de cômodos, detalhes dos componentes, quantidades de acessos (corredores, portas e janelas) e diversas outras informações que contribuem para uma análise mais detalhada do projeto.

Para isso, é importante que as plantas baixas sejam criadas por meio de um corte imaginário horizontal, com uma altura distante de 1,50 m do piso.

Além do mais, é importante também incluir o tipo e o tamanho dos revestimentos utilizados, mesmo que informações de detalhes, como cores e marcas, não sejam incluídas, já que isso pode ser decidido posteriormente. De qualquer forma, a planta baixa pode ser construída de modo humanizado ou comum.

Planta de cobertura

Como o próprio nome sugere, a planta de cobertura consiste na parte superior de uma edificação, mais especificamente o telhado. É indispensável que nessa planta constem com detalhes as características típicas, como rincão, espigão, beiral e cumeeira.

Além disso, é preciso que o arquiteto também não poupe detalhes e inclua todos os elementos que aparecem na cobertura, como as canalizações, as calhas, as chaminés, o volume de reservatórios etc.

Planta de localização

A partir da planta de localização, é possível visualizar com mais profundidade os arredores de uma obra. Assim, é importante que o responsável pelo desenho do projeto especifique os limites do terreno com os da rua. Além disso, é importante incluir os muros, a área de lazer, os equipamentos e qualquer outro elemento que mostre mais clareza para os envolvidos com a obra.

Planta de situação

Assim como a planta de localização, a planta de situação contribui para uma visualização da parte superior de um imóvel.

No entanto, nesse caso, ela é responsável por detalhar a relação do imóvel com o entorno do lote. Isso porque é preciso que na planta de situação constem demolições futuras, cotas gerais lineares e angulares do terreno, construções existentes no local, restrições governamentais etc.

Quais são os documentos obrigatórios no anteprojeto de arquitetura?

Corte

O corte possibilita uma melhor visualização dos elementos estruturais e cômodos de uma obra, o que contribui para a identificação da profundidade de ambientes. Ainda, é a partir do corte que se pode analisar com detalhes a distribuição dos andares, das escadas, das janelas e das portas, que não são possíveis de visualizar na planta baixa.

Para isso, o corte pode ser transversal ou longitudinal. A quantidade necessária de plantas de corte varia de acordo com o nível de detalhe que o projeto exige para a execução e com o tamanho do imóvel.

Fachada

Essa planta leva em consideração a vista externa do imóvel, sendo também nomeada de planta de elevação. Para isso, a planta deve incluir o número de frentes do lote, a posição do acesso principal e as demais exigências da Prefeitura para que o projeto seja aprovado. Além disso, engloba detalhes fundamentais, como janelas, revestimentos, portas, gradis e telhados.

Como você pode perceber, o anteprojeto de arquitetura é fundamental para que um imóvel seja construído com maior satisfação para os consumidores e a equipe envolvida. Não à toa, muitos consideram essa etapa a mais importante de todas no projeto. Assim, é preciso estudar bem todas as plantas do anteprojeto para que o cliente se satisfaça com a qualidade final entregue.

Gostou do nosso conteúdo e quer continuar bem informado? Então assine agora mesmo a nossa newsletter!

Quer receber mais conteúdos como esse ?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.