precificar projetos de arquitetura

Como precificar os projetos de arquitetura?

Precificar projetos de arquitetura é um desafio que pode ser solucionado considerando a experiência do arquiteto e sua influência no mercado. Saber as principais dicas para colocar o mobiliário na conta dos projetos também é outra demanda constante no momento da entrega do orçamento. Então, por onde começar?

Conversar com um especialista pode facilitar a sua vida, e é o que proporcionamos agora para você. Neste texto, selecionamos os principais pontos abordados pelo arquiteto especificador da Flexform, Leandro Sóter de Oliveira. Ele traz boas respostas sobre a precificação de projetos arquitetônicos. Confira agora!

Como ir além do ABC da precificação de projetos de arquitetura?

Faculdades ensinam, mas a experiência abre outras perspectivas. A precificação de projetos de arquitetura está acessível em livros, minicursos, disciplinas da graduação e eventos on-line. No entanto, a multiplicidade de formatos de espaços, que mudam conforme as novas necessidades de trabalho, exige um olhar dinâmico.

A transformação diária e o surgimento de novos modos de organizar a vida requerem atenção às melhores escolhas de materiais e formatos para o projeto arquitetônico. Esse contexto influencia, diretamente, a precificação. Então, como ir além do básico e realmente construir um conhecimento sólido no momento de entregar um orçamento?

“Um projeto de arquitetura bem precificado deve considerar os recursos, os custos e o nível de qualidade envolvidos”, orienta Leandro Sóter, para começar a conversa. Para fazer a diferença, é preciso evitar erros de entendimento sobre o que é valor, o que é preço e o que são custos. É a soma desses três fatores que oportuniza o valor mais acertado do projeto.

Valor

Valor é uma categoria que envolve sua experiência e outros aspectos mais subjetivos, mas não menos claros e relevantes. Por exemplo, tempo de formação, prêmios, feedbacks, prioridades da vida do profissional etc.

Preço

Preço é exatamente o número expresso nas mercadorias. Isto é, a questão prática e mais objetiva, como o preço do metro quadrado de revestimentos, da estrutura hidráulica e elétrica, dos móveis e de qualquer outro material vendável.

Custos

Os custos são os valores da mão de obra, que incluem desde o processo logístico até a especialização em determinados momentos.

Em outras palavras, é o custo de todos os deslocamentos do arquiteto até os locais de trabalho e o orçamento com o aplicador de revestimentos, que pode ser mais específico. Por exemplo, a aplicação de revestimentos mais rústicos, como pedras, ou de ralo oculto no banheiro. Até o custo para elaborar o próprio orçamento de precificação precisa ser considerado.

O que é um projeto de arquitetura bem precificado?

Mapear os processos, a equipe e o tempo envolvido são pontos importantes em um projeto de arquitetura bem precificado. A organização dessas etapas integra uma metodologia que o arquiteto especificador da Flexform utiliza com eficácia nos seus anos de experiência.

“A metodologia a ser utilizada deve contemplar as necessidades do mercado em específico, do cliente solicitante e da empresa em si a realizar o projeto”, explica Leandro Sóter.

Dessa forma, você consegue evitar erros, como o atraso na entrega devido à falta de comprometimento dos profissionais envolvidos e um baixo nível de qualidade técnica, em desacordo com o previsto ou acordado.

Outro ponto abordado na conversa com Leandro Sóter é a questão da falta de comprometimento na qualidade da apresentação do projeto e a expectativa do cliente. É preciso lembrar que o momento do projeto é a realização de um desejo genuíno do cliente. Então, é preciso garantir uma harmonia entre o preço e a qualidade do seu produto.

Como o profissional consegue ter mais segurança e acertar um orçamento justo?

Para o arquiteto especificador da Flexform, há nove passos para ter mais confiança ao precificar os projetos arquitetônicos. Essas atitudes levam em consideração o início da carreira do profissional e os modos de organização das demandas.

“Pode até parecer estranho, mas considere se vale a pena mesmo cobrar o projeto de seu cliente, visto que, se ainda falta mapear os processos para precificação, esse ou esses primeiros projetos podem servir de experiência para montar a sua planilha de preços”, explica sobre o primeiro passo.

Veja abaixo as outras oito atitudes:

  1. defina o segmento de arquitetura desejado (ex.: projeto de edificações, de interiores ou de terceirização de serviços). Dê preferência àquele que você mais domina);
  2. identifique o tamanho e o potencial desse mercado (por exemplo, situando-se entre os concorrentes, com uma pesquisa de mercado);
  3. faça uma boa entrevista com o cliente. Conheça suas necessidades, “dores” e expectativas;
  4. tenha clareza das metodologias a serem utilizadas para as etapas do projeto;
  5. preveja os recursos necessários para a execução de cada tipo de projeto (ex.: treinamento, espaço físico, equipamentos, tempo envolvido, tamanho da equipe etc.);
  6. considere os custos e o nível de qualidade das etapas envolvidas, como transporte, atualizações periódicas, equipamentos, divulgação, entre outros;
  7. considere o seu salário, prevendo a quantidade de projetos a serem realizados por mês, assim como o seu fluxo de caixa;
  8. tenha uma margem de lucro, para que você possa atravessar períodos de “seca” ou férias. Por outro lado, preveja um possível crescimento, mediante atualização e investimento na sua estrutura, para continuar oferecendo e melhorando seu atendimento com projetos de arquitetura.

Como escolher bons fornecedores para os seus projetos de arquitetura?

A escolha de fornecedores leva em conta o portfólio de soluções, o nível de qualificação da equipe envolvida para atender às demandas do projeto e o reconhecimento de mercado. Além disso, é importante observar a capacidade técnica dos produtos, assim como as suas certificações, garantias e prazo de entrega.

“A precificação de projeto tem relação com a qualidade dos fornecedores, visto que a qualidade da instalação da arquitetura depende da escolha deles. Ainda, a percepção do cliente e do usuário, em relação à arquitetura, vai referenciar o projeto que traduzir e superar as expectativas do cliente”, orienta Leandro Sóter.

Lembre-se de que os fornecedores são diretamente responsáveis pelo andamento do projeto. Eles compartilham, ao lado do profissional de arquitetura, as atribuições, como o compromisso com a qualidade apresentada e os bons preços.

“O cumprimento dos prazos previstos e uma equipe de atendimento qualificada pós-venda para ajudar o cliente em eventualidades são mais dois objetivos para alcançar”, explica o arquiteto da Flexform.

Por que a Flexform é uma boa parceira na elaboração do projeto arquitetônico?

Para quem deseja acertar na escolha do projeto arquitetônico, a Flexform tem uma equipe qualificada de atendimento, portfólio completo de assentos e produtos certificados e de qualidade comprovada. Além disso, a empresa conta com preços competitivos, garantia, instalações e showroom.

Precificar projetos de arquitetura é um desafio que, com boas informações, pode tornar o processo mais intuitivo e assertivo. Como fizemos neste texto, conversar com um arquiteto de confiança é uma solução segura que pode dar mais certeza às suas escolhas. Lembre-se também da importância de aprender com os erros.

Nesta leitura, você conseguiu solucionar suas dúvidas? Caso tenha curiosidade em conhecer mais os diferenciais da Flexform, entre agora em contato conosco!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.