evolução do video game

Veja a evolução do videogame no Brasil e no mundo!

A evolução do videogame é essencial para entender a própria história da internet e o estado atual da maneira como nos comunicamos. Isso porque a lógica da gamificação, isto é, a estética de videogame está presente nos aplicativos em smartphones, na própria estrutura das redes sociais, páginas de pesquisa e diagramação de sites.

Já percebeu que sempre há um botão para apertar, um som disparado ao clicar em algo, uma imagem animada que aparece seguido por pequenos movimentos que estimulam o contato com a tela? Isso é herança da evolução do videogame.

Ao entrar em contato com a história desse recurso lúdico e de trabalho para muitas pessoas, você pode entender os motivos iniciais e que ainda fazem sentido para a construção dos videogames. Pensando nisso, selecionamos um guia geek para quem quiser conhecer o percurso a partir do final dos anos 60 até os dias atuais. Preparado para passar de fase? Então acompanhe a leitura.

A história do videogame

Há duas teorias para o início do videogame. Para alguns historiadores, foi em 1962 que o primeiro jogo, com a temática de batalha espacial, foi criado. Os estudantes Slug Russel, Martin Graetz e Wayne Witanen, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, produziram o SpaceWar.

A dinâmica era simples e já bastante conhecida por todo jogador que se aventurou em algumas partidas clássicas de jogos de batalha espacial. Os computadores DEC PDP-1 eram os únicos que tinham o sistema operacional adequado para rodar o jogo.

De outra forma, há um segundo registro, mais antigo, para o início dos videogames, que se deu em 1958. Quatro anos antes do SpaceWar, Willy Higinbotham usou a temática do tênis para produzir, por meio de um osciloscópio, processado em computador analógico, o jogo Tennis for Two. Assim, o físico conseguiu simular uma partida de tênis, iniciando a popularização do videogame.

Para quem não sabe, um osciloscópio é um instrumento de medição de sinais elétricos que apresenta gráficos bidimensionais — semelhante a um visor de avião de pequeno porte, com aquelas luzes verdes, lembra?

Ambas as teorias aconteceram nos Estados Unidos, o que explica o país ser celeiro de grandes sucessos de máquinas de videogames, como o Playstation, Atari e Nintendo, com cores vivas e bem iluminadas, conforme você confere logo abaixo.

A evolução do videogame

É fascinante perceber o relativo curto tempo que se levou para se desenvolver videogames que trabalham com inteligência artificial, psicologia das cores, recursos táteis, realidade virtual e gráficos ultrarrealistas. Avanços nas áreas da física, química e engenharia permitiram a sofisticação cada vez mais complexa dos jogos eletrônicos. O start de tudo isso, ao nível de indústria, começou nos anos 1970.

Anos 70

Na verdade, foi ainda em 1968 que surgiu um dos primeiros videogames, no âmbito do protótipo. Ele era conectado pela televisão, um formato clássico que se estende até hoje. Ralph Baer, ao criar o Brown Box, viabilizou a transmissão de jogos eletrônicos por meio do aparelho televisor.

Agora, já em 1972, surge o Odissey. Ele deu continuidade à tecnologia anterior da Brown Box. O Odissey foi, então, o primeiro console a ser comercializado nos Estados Unidos. O Brasil recebeu a novidade apenas no final dos anos 70, pelo nome de Telejogo. No entanto, os valores ainda eram proibitivos.

Bem, agora chegamos a um ponto da história já bastante conhecido: o fenômeno do Atari. Parte da memória afetiva de muitos jogadores, o console surgiu em 1978 e deu um passo maior em busca da popularização dos videogames. Assim, o Atari 2600, criado por Nolan Bushnell, chegou ao Brasil em 1983.

O videogame foi a porta de entrada para a formação de uma cultura gamer, que se originava nos Estados Unidos e começava a percorrer todo o globo. Afinal, era mais fácil o acesso, permitindo ser jogado em cadeiras no interior das próprias residências. Isso facilitou a adesão de pais receosos de liberar os filhos para jogos fora de casa.

No entanto, a marca Atari sofreu importantes desfalques financeiros, permitindo que novos consoles surgissem e se estabelecessem no mercado.

Anos 80

Nintendo! Com a chegada dos anos 1980, os Estados Unidos perdem o posto absoluto de produção de consoles, abrindo espaço para o console japonês Famicom ou o NES (Nintendo Entertainment System). O aparelho, que contava com uma memória de 8 bits, apresentou jogos definitivos para a cultura gamer, como Mario e Donkey Kong.

A década de 1980 foi muito produtiva e seguiu produzindo consoles que foram sucessos de venda. Mais um exemplo é o Master System. Entre 1981 e 1985, outra empresa japonesa, a SEGA, lançou três versões (I, II e III) do videogame.

No entanto, mesmo com os avanços, a Nintendo ainda figurava como a mais tecnológica. Esse entrave foi a chave para que, em 1989, a SEGA lançasse o Genesis ou Mega Drive. O console tinha jogos como Sonic, que também habitaram o cotidiano de crianças, jovens e adultos nos anos 1980.

Anos 90

Para competir com o Mega Drive, a Nintendo lançou o Super NES, que tinha como um dos maiores sucessos o jogo do Mario em nova atualização. No entanto, em 1994, outra gigante da tecnologia entrou no mercado de jogos, a Sony. Logo, lançou o Playstation, com incrível 100 milhões de consoles vendidos. Nessa época, a competição ficava entre o Saturn, da SEGA, e o N64, da Nintendo.

Anos 2000

Os anos 2000 segue com o progresso meteórico do Playstation, que agora insere a tecnologia do DVD em seus jogos. No entanto, a Microsoft resolve entrar nesse mercado e lança mais um console favorito de crítica, o Xbox. A Nintendo segue forte, com o Nintendo Switch.

Os jogos mais aguardados para 2023

Após falarmos, resumidamente, da história do videogame, a vontade de começar a jogar deve estar batendo por aí, não? Em 2023, há vários lançamentos importantes para o mundo dos games. Confira alguns:

  • Resident Evil 4 Remake;
  • The Legend of Zelda — Tears of the Kingdom;
  • Starfield;
  • Silent Hill 2 Remake;
  • Marvel’s Spider Man 2.

E então, gostou de saber mais sobre a evolução do videogame? Esse objeto está presente nas nossas memórias afetivas e na vida de muitos adultos, que podem fazer do momento de uma partida, um espaço de relaxamento e aventura.

Agora o controle número 1 está com você! Deixe agora um comentário sobre qual foi o jogo mais inesquecível para você.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.