Plantscaping: conheça esse conceito e como aplicá-lo em projetos para escritórios

Plantscaping, design biofílico e paisagismo. Eis aqui três elementos que, realmente, podem impactar positivamente qualquer escritório. Em especial após a experiência em massa das jornadas desafiadoras de home office, a centralidade do bem-estar laboral é incontestável.

Se a sofisticação de ambientes de trabalho antes era entendida como um luxo, hoje ela é praticamente uma regra para empresas que têm compromisso com o seu futuro. Neste texto, você vai entender o que é plantscaping e qual a sua importância. Também vai entender mais sobre design biolífico e sobre como inserir o paisagismo em um escritório. Acompanhe!

O que é plantscaping?

Aquele jarro de planta colocado pontualmente como decoração evoluiu para o que hoje chamamos de plantscaping. É praticamente intuitiva a noção de que estar inserido ou em contato com a natureza traz bem-estar e até reeduca nossa atenção.

A valorização dessa consciência sobre a importância da organização de plantas no espaço é uma das principais características do plantscaping, que trabalha com a personalização do ambiente com espécies da flora.

Em outras palavras, plantscaping é o que chamamos de projeto paisagístico de interior. A palavra em inglês é apenas uma síntese, que, em tradução direta, significa “paisagismo”. Ou seja, é pensar na criação de perspectivas que levem em consideração o uso de plantas no design arquitetônico.

As possibilidades criativas encontram na mistura de texturas, cores e volumes um espaço ideal para produzir projetos arquitetônicos que ocupem um lugar definitivo na memória de quem acessa o ambiente. O plantscaping, portanto, é a colaboração ativa dos conhecimentos da psicologia ambiental e com técnicas de cultivo. Logo, permite brincar com o design e alcançar verdadeiras paisagens artísticas.

Pintura viva nos projetos

Imagine ter a beleza das plantas pintadas pelo clássico pintor Monet? A forma como a luz pode mudar um ambiente com o uso de componentes vegetais leva a possibilidades criativas e singulares. As paisagens impressionistas do pintor francês são ótimas oportunidades de visualizar o impacto da iluminação de elementos da flora em um ambiente. Embora apareçam lagos e pontes nessas obras, é possível reproduzir, em alguma medida, a vivacidade das cores em um projeto de plantscaping.

Para isso, é preciso estar munido da noção de que as plantas não permanecem da mesma forma que foram colocadas. Assim, um ponto fundamental é lidar com a mudança e os caminhos para o desenvolvimento saudável dessa pequena flora dentro de um escritório.

Uma vez que se pega o ritmo, a sensação de equilíbrio e aconchego podem fazer morada. Afinal, estamos falando de natureza, e, se há plantas bonitas e vistosas, é porque há cuidado, atenção e respeito à vida naquele ambiente.

O que é design biofílico e como influencia os projetos?

Até aqui já deu para perceber o quanto o plantscaping está relacionado a inserção da natureza no projeto de arquitetura. Em outras palavras, estamos falando sobre o território do design biofílico. Isto é, uma volta às origens do ser humano em plena lógica moderna. Essa organização traz a reconexão do humano com a natureza para que sejam aproveitados todos os benefícios inclusos nessa escolha.

Assim, pensar em um design biofílico é considerar o desenvolvimento e a manutenção da saúde e do bem-estar a partir do contato ativo com a natureza. Parece algo apenas complementar ou secundário, mas, depois que se entra em contato com ela, na experiência do dia-a-dia, entende-se a dimensão dessa mudança. Ela oportuniza mais calma, foco e consciência coletiva.

Sobre esta última, além de prestar atenção no comportamento das plantas, é possível começar a desenvolver um novo repertório de conhecimentos paralelo às funções do trabalho. Isso pode trazer mais movimentos positivos para o cotidiano. Logo, a influência do design biofílico em projetos arquitetônicos é um fator que pode construir uma forte lembrança do cliente sobre o arquiteto.

Quais os benefícios de projetar ambientes com a técnica plantscaping?

Em relação aos aspectos mais técnicos da inserção do plantscaping nos ambientes, o principal passa por duas questões. A primeira é a melhoria da qualidade do ar de modo natural, com a redução da umidade e a manutenção de uma temperatura agradável. O segundo ponto é ampliação da acústica do ambiente, diminuindo sons externos que impactam de modos sutis ou explícitos a qualidade laboral.

O resultado da combinação dessas duas questões é o estímulo à permanência no local, o que aumenta a produtividade e reduz as taxas de absenteísmo (falta no trabalho). Logo, a oferta de projetos arquitetônicos que pensam o plantscaping, além de uma tendência, é qualidade de vida em seu sentido mais pleno.

Em outras palavras, esse tipo de projeto parte de uma consciência sobre a importância de acessar o conforto ambiental todos os dias, não apenas de modo pontual, em férias ou finais de semana.

Como inserir esse conceito em um projeto de escritório?

O primeiro passo é entender o microclima do local. Para isso, é preciso observar a posição solar, isto é, os horários que a luz do sol adentra o ambiente e em quais regiões. Também é necessário entender a circulação de vento e a intensidade. Assim, com essas informações em mãos e a consulta de um profissional de jardinagem, você poderá organizar a cartela de plantas que realmente funcionam do local.

Afinal, não adianta focar apenas na beleza de orquídeas se o ambiente não é adequado para elas. Os resultados serão apenas o gasto e a necessidade de trocar por outras espécies. Além disso, falar de plantscaping significa estar livre para a criatividade, mas entender quais as demandas de cada local.

Dito de outra forma, há projetos que funcionam melhor com pontos focais de natureza, enquanto outros, são ideais para serem preenchidos por uma flora vasta ao longo do espaço. O diálogo atento com o cliente e a análise das condições climáticas do ambiente são duas chaves para o sucesso.

Como vimos, o plantscaping é o projeto paisagístico de interior que viabiliza uma melhor qualidade e conforto no trabalho. Afinal, as plantas liberam oxigênio e criam uma atmosfera propícia para o relaxamento — além, é claro, de servirem como elementos de sofisticação estética. Assim, a personalização de espaços internos pode viabilizar mais equilíbrio para o cotidiano.

Se você gostou deste conteúdo, não pode ficar por fora das nossas principais atualizações sobre a melhoria do cotidiano laboral. Então assine já a nossa newsletter! Basta colocar o seu e-mail aqui ao lado.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.