Como criar novos espaços no trabalho pós-pandemia?

Não dá para negar que a pandemia impactou profundamente em relações de trabalho ao redor do mundo. O distanciamento necessário resultou em novas dinâmicas e hábitos que nem sempre passam pelo contato físico entre profissionais.

Nesse novo cenário, como adequar novos espaços no trabalho que incentivem a participação presencial das pessoas sem prendê-las ao escritório?

Vamos conversar sobre esse assunto tão importante passando por três pontos principais: como chegamos até aqui, o papel dos arquitetos nessa nova realidade e o que esperar do futuro. Continue lendo!

A realidade de espaços de trabalho pós-pandemia

Principalmente nos anos de 2020 e 2021, a pandemia forçou milhões de trabalhadores a abandonar seus postos de trabalho e exercerem suas funções de casa. Com mais ou menos sucesso, fomos forçados a adaptar rotinas e processos utilizando tecnologia.

A questão é que, mesmo com as limitações de não ter contato direto com colaboradores, muitos profissionais se ajustaram bem à nova realidade e buscam empresas que mantêm parte do que foi visto como ganho nos anos de home office.

A nova realidade pode ser vista nos números. Em pesquisa de 2023, apenas 10% dos negócios entrevistados continuam 100% remotos. A volta ao escritório é uma tendência natural, mas não como era antes.

Afinal, dentre as empresas que realizaram o movimento, apenas 28% voltaram ao presencial pleno, contra 39% que adotaram um modelo híbrido de trabalho.

Isso acontece por uma necessidade de reter talentos. 83% dos trabalhadores brasileiros preferem essa possibilidade, rejeitando a ideia de regressar à rotina totalmente presencial.

É por isso que a demanda por reformas e reestruturações de casas e escritórios aumentou a partir de 2021. É uma consequência da busca por espaços que se adéquem ao cenário que apresentamos. Algo que exige atenção para os próximos anos.

As práticas para adequar espaços a novas demandas

Mas como lançar esse novo olhar sobre espaços de trabalho? Como sempre, arquitetura e design precisam focar em praticidade, usabilidade e estilo como um equilíbrio atraente para profissionais que não desejam passar o dia enfurnados em um escritório.

O ideal é que o espaço transpareça uma nova visão do que é trabalhar, que combine a produtividade com bem-estar e uma visão maior de importância em um todo. Veja algumas dicas para começar a construir essa ponte.

Entenda como novas formas de trabalhar impactam nos espaços

Primeiro é preciso entender o que novos modelos de trabalho pedem de um espaço físico. Como escritórios precisam ser desenhados para fácil acesso e operação de pessoas que não necessariamente trabalham todas ao mesmo tempo?

Aprofundar-se nos processos produtivos de cada empresa e o perfil de seus trabalhadores é um passo para desenhar escritórios que conversam bem com essa dinâmica de rotina. Cada caso terá suas particularidades.

Um caminho para esse entendimento começa pelas tendências que apresentaremos em breve.

Ofereça algo além do que os profissionais podem ter em casa

Muitos profissionais se adaptaram tão bem ao home office que é difícil criar argumentos para atraí-los de volta ao escritório. Mas eles existem, e passam muito pela organização do espaço.

Um escritório bem pensado para novos modelos produtivos consegue oferecer benefícios além de nossas casas para o trabalho, como ergonomia, privacidade, e facilidade de alinhar processos entre membros de equipe.

Crie oportunidades de personalização

A personalização de novos espaços de trabalho não é apenas sobre poder mudar uma cor ou colocar seu toque de decoração. É algo mais profundo, que emula a criação de seu próprio canto dentro de casa no home office.

Escritórios personalizáveis flexibilizam sua própria estrutura: móveis, estações, até mesmo salas. E um dos desafios é fazer isso de maneira simples e intuitiva, para que profissionais no presencial em dias e horários diferentes consigam adaptar seus espaços assim que chegam.

Estruture espaços com senso de comunidade e integração

A personalização também deve ter um aspecto coletivo. Novas dinâmicas de trabalho valorizam a fluidez de equipes de acordo com necessidades de mercado, unindo e separando colaboradores conforme a demanda.

Para que isso funcione além das reuniões online, é preciso que o espaço físico tenha a mesma natureza mutante. Unir a abertura e integração do digital ao contato direto do presencial é a busca da maioria das empresas hoje.

Tendências para novos espaços no trabalho

Para que você entenda melhor como aplicar essas práticas em novos espaços de trabalho, veja algumas tendências que emergiram no pós-pandemia. Acompanhe.

Flexibilidade para trabalho híbrido

Em modelos tradicionais de trabalho, era esperado que o escritório estivesse sempre em sua ocupação máxima durante horas úteis. Ficava mais fácil projetar um espaço com essa certeza.

Hoje, porém, é cada vez mais comum que empresas estejam constantemente com ocupação variável. Dias e horários de trabalho presencial não são os mesmos para todos.

Isso faz com que o trabalho híbrido impacte definitivamente na estruturação de escritórios. Espaços mais enxutos, inteligentes e que se adaptam a diversas dinâmicas produtivas.

Foco no trabalho em equipe

O que impede todo trabalho de escritório ser feito em home office hoje? A resposta é simples: o contato direto com colegas de trabalho, que agiliza e facilita discussões estratégicas e alinhamentos de projetos.

Por isso, o grande foco de novos espaços no futuro será em promover ainda mais essa confraternização. Lugares que mantenha individualidade, mas permitam a comunicação imediata entre colaboradores.

É importante também que o espaço seja mutável para reuniões e discussões de diferentes tamanhos: grupos maiores e menores, reuniões mais formais ou alinhamentos diários, etc.

Smart Office

O uso de tecnologia na construção de um novo espaço é uma abordagem fundamental para o pós-pandemia. Ela permite a redução de custos, organização pessoal eficiente e integração facilitada entre ambientes.

Um exemplo disso comum hoje é o controle de estações de trabalho por meio de booking. Como nem todos os profissionais estão no presencial ao mesmo tempo, é possível reduzir as estações e utilizar a reserva de espaço para organizar seu uso entre todos. A empresa ganha em eficiência e economia.

Design humanizado

Como você viu até aqui, o maior impacto da pandemia no trabalho foi o quanto trabalhadores passaram a valorizar seu bem-estar e personalização de hábitos de vida em relação ao trabalho.

Os escritórios do futuro precisam ter essa noção para atrair e reter talentos. Design humanizado é construir espaços que entregam mais do que uma estação de trabalho.

As funcionalidades e as ofertas de atividade dentro da empresa ajudam a criar um cenário compatível com o que experienciam em home office: a possibilidade de adequarem o ambiente ao que consideram ideal para sua saúde física e mental.

Afinal, não tem como não valorizar esses temas depois de um período tão traumático. Criar novos espaços no trabalho pós-pandemia é levar em conta muito mais do que a função prática da produtividade. É potencializá-la pensando primeiro nas pessoas.

Quer começar essa nova abordagem adotando outra tendência de mercado muito importante? Veja como utilizar materiais sustentáveis no Design de Interiores!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos gratuitamente por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.